Notícias

Fique atento: Aftas podem apontar para transtornos mais sérios à saúde

Fique atento: Aftas podem apontar para transtornos mais sérios à saúde

By on Nov 9, 2015 in Notícias | 0 comments

O surgimento de aftas na mucosa bucal, gengivas e embaixo da língua estão principalmente relacionadas a fatores como hereditariedade, estresse emocional, falta de vitaminas e minerais como ferro e ácido fólico, mudanças hormonais e alergia a alimentos.De acordo com a cirurgiã-dentista Letícia Boos, de acordo com a gravidade, as aftas podem causar distúrbios mais severos à saúde. – Quando aparecem em grande número, podem tornar difícil a deglutição alimentos ou líquidos, especialmente os mais ácidos. Os sintomas, que incluem principalmente dor, ardor ou algum tipo de queimação na região afetada, podem aparecer de um a dois dias antes da afta surgir. Eventualmente, podem aparecer gânglios no pescoço, cansaço e até febre – aponta Letícia. As aftas pequenas geralmente não precisam de tratamento e desaparecem em até duas semanas. A recorrência cotidiana do surgimento das pequenas feridas, mesmo em números reduzidos, pode ser ocasionada por deficiências nutricionais ou disfunções do sistema digestivo, por isso é importante consultar um nutricionista ou gastroenterologista nestes casos. Entretanto, quando o problema aumenta, é necessário recorrer à intervenção imediata e aos tratamentos disponíveis. -Se houver muita dor ou dificuldade para engolir, pode-se recorrer ao cirurgião-dentista que poderá indicar analgésicos, assim como a aplicação de pomadas para uso oral. Em casos mais graves, pode ser necessário o uso de medicamentos sistêmicos, como os corticoides, e remédios para reduzir a acidez estomacal -determina a cirurgiã-dentista. Durante a recuperação, algumas medidas simples podem ajudar. Entre elas, é recomendável evitar alimentos ácidos ou muito condimentados, além da escovação dos dentes de modo suave. Quebrar pequenos pedaços de gelo e deixá-los dissolver na boca, como forma de aliviar a irritação, também pode...

leia mais
Proteção bucal é fundamental para evitar danos sérios durante a prática de esportes

Proteção bucal é fundamental para evitar danos sérios durante a prática de esportes

By on Nov 9, 2015 in Notícias | 0 comments

Você utiliza o protetor bucal? A resposta provável é negativa. Afinal, fora em esportes que envolvem artes marciais, não é cultural no Brasil a utilização deste equipamento. Entretanto, a adoção da proteção do impacto aos dentes pode evitar sérios danos e muita dor de cabeça. Esses problemas podem envolver a fratura dos dentes e maxila, além de cortes nos lábios. – Os protetores bucais devem ser usados por quem participa de atividades esportivas que envolvam a possibilidade de quedas, contatos físicos bruscos ou choques com objetos. Não é só lutar que envolve riscos. O futebol, basquetebol, ginástica, skate e ciclismo são apenas alguns dos esportes que também podem produzir ferimentos sérios – explica a cirurgiã-dentista Letícia Boos. Independente do tipo, todo protetor bucal deve ser flexível, resistente à ruptura e cômodo de usar. Também deve se adaptar à sua boca, de forma a não restringir a fala ou respiração. – O ideal é trocar seu protetor bucal a cada seis meses pois, com o passar do tempo, se desgastam e o coeficiente de proteção se reduz – aponta a cirurgiã-dentista. Há três tipos de protetor disponíveis no mercado. O ideal são os feitos sob medida, por ortodontistas ou laboratórios, que são diferentes para cada usuário, extremamente confortáveis e oferecem excelente proteção. Também existem os moldáveis em água quente, que podem ser adquiridos em lojas de produtos esportivos e são mais confortáveis que os protetores comuns, que são baratos e pré-moldados. Estes são prontos para o uso, mas muitas vezes não se ajustam bem aos dentes, podendo dificultar a fala e a...

leia mais
Você sabe usar fio dental? Saiba como fazer uso desta indispensável ferramenta para a higiene bucal

Você sabe usar fio dental? Saiba como fazer uso desta indispensável ferramenta para a higiene bucal

By on Nov 9, 2015 in Notícias | 0 comments

Você sabe usar o fio dental corretamente? Essa é uma pergunta cotidiana na relação entre o dentista e seus pacientes. As respostas são as mais variadas e certamente cada pessoa tem um “jeitinho” de usar o item, que é indispensável para a saúde da boca. Afinal, este alcança onde a escova dental não consegue higienizar, evitando cáries e doenças gengivais, além do mau hálito. De acordo com a cirurgiã-dentista Letícia Boos, para fazer uso correto do fio dental, deve-se enrolar aproximadamente 40 centímetros do fio ao redor de cada dedo médio, deixando cerca de dez centímetros entre os dedos. Segurando o fio dental entre o polegar e indicador das duas mãos, deve-se deslizar levemente para cima e para baixo entre os dentes. – Lembre-se da palavra “levemente”. O uso agressivo do instrumento pode causar danos a gengiva, o que pode, por sua vez, motivar o surgimento da sensibilidade dentinária – explica Letícia. Depois disso, é preciso passar cuidadosamente o fio ao redor da base de cada dente, ultrapassando a linha de junção do dente com a gengiva, sem forçar o fio contra a gengiva, pois ele pode cortar ou machucar o frágil tecido gengival. A orientação de separar 40 centímetros de fio dental parece exagerada, mas não é. Isso serve para lembrar de utilizar uma parte nova do pedaço de fio dental para cada dente a ser...

leia mais
Em caso de doenças respiratórias, troque a escova de dentes para evitar novas infecções

Em caso de doenças respiratórias, troque a escova de dentes para evitar novas infecções

By on Nov 9, 2015 in Notícias | 0 comments

No frio, você pode pegar um simples resfriado. Sabia que se isso acontecer, é indispensável a troca da escova de dentes? Fungos e bactérias presentes na boca se alojam nas cerdas, o que pode causar novas doenças. Parece exagerado, mas os odontologistas garantem que existe uma boa possibilidade de isso acontecer. – É importante trocar de escova após resfriado, gripe, infecção na boca ou dor de garganta. Isso porque os germes podem se alojar nas cerdas da escova e levar à reinfecção. Mesmo se você não esteve doente, fungos e bactérias podem se desenvolver nas cerdas da sua escova, outra razão para trocar sua escova regularmente. Além disso, lembre-se de enxaguar sempre muito bem, para manter limpa, e sempre guardar em local limpo e arejado – explica a cirurgiã-dentista Letícia Boos. Mesmo que nenhuma infecção apareça, existe uma série de problemas que podem se desenvolver a partir do uso de uma escova desgastada. Por isso, a recomendação dos odontologistas é a troca em até 90 dias, mas sempre observando a qualidade das cerdas. – Uma escova deve apresentar suas cerdas alinhadas e limpas, para garantir o poder de limpeza. Assim que os fios começarem a “escabelar”, é preciso trocar. Um dos principais motivos é que a partir do uso das cerdas desgastadas, existe o excesso de fricção com pressão nos dentes, o que pode causar problemas como a retração gengival – aponta Letícia. De acordo com a odontologista, para a preservação da qualidade das cerdas por mais tempo, é necessário escovar os dentes aplicando apenas uma pequena pressão, sem o uso de força. Após três meses de uso normal, as cerdas se deformam e as escovas são muito menos eficientes na remoção da placa dos dentes e gengivas em comparação com equipamentos...

leia mais
Higiene bucal começa no berço: é possível prevenir doenças bucais antes do primeiro dente nascer

Higiene bucal começa no berço: é possível prevenir doenças bucais antes do primeiro dente nascer

By on May 15, 2015 in Notícias | 0 comments

A higiene bucal é indispensável, até para quem não tem dentes. É o caso dos bebês que, mesmo sem os dentinhos terem nascido, já devem ter as suas bocas higienizadas pelos pais. A importância dessa medida se dá pela prevenção da proliferação de bactérias que pode ocorrer devido ao excesso de leite que fica estagnado na boca dos pequeninos, causando problemas bucais como a candidíase, mais conhecida como “sapinho”. Além disso, a higiene bucal tem grande importância no estabelecimento do hábito de manipulação da cavidade bucal do bebê, permitindo aos pais efetuar uma escovação de maneira mais tranquila futuramente para prevenir o aparecimento de, por exemplo, cáries de mamadeira. Essas lesões são agressivas, de evolução rápida e geralmente causam dor, podendo destruir os dentes de leite em um curto espaço de tempo. – O procedimento é bem simples. Basta enrolar uma gaze ou fralda umedecida em água limpa e passá-la nas gengivas, bochechas e língua do bebê para remover os resíduos de leite do interior da boca – explica a odontologista Letícia Boos. Por volta dos seis meses de idade, começam a surgir os primeiros dentinhos. A partir desse período, a fralda é dispensada e deve ser substituída por uma escova de dedo. O nascimento dos primeiros molares (dentes localizados ao fundo da boca) sinaliza que é hora da primeira escova de dentes da criança entrar em ação, lembrando sempre que a escovação deverá ter a supervisão de um adulto. Para escolher a melhor escova, a dica é verificar na embalagem a idade recomendada para o uso. É imprescindível a adoção das cerdas macias e que tenha uma cabeça pequena, para que seja fácil alcançar todas as partes da boca. – Torne esse momento divertido. Deixe a criança escovar sozinha, sempre com a sua supervisão, e complete a higienização após a brincadeira. Escove os dentes junto com a criança, pois elas adoram imitar o que fazemos! O correto é supervisionar a escovação até os oito anos de idade – aconselha Letícia. Segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria e a Associação Americana de Pediatria, o uso de creme dental com flúor deve ocorrer desde o surgimento do primeiro dente do bebê. A recomendação deve, no entanto, seguir rigorosamente a orientação...

leia mais